26 de maio de 2024

As comemorações da Igreja no mês de outubro

É um mês marcado por numerosos eventos litúrgicos e sociais. É o mês do Rosário e das Missões. Em 1716, o papa Clemente XI instituiu a festa de Nossa Senhora do Rosário no primeiro domingo de outubro. A devoção do rosário expandiu-se em todos os tempos, sendo rezado inteiro ou em quatro terços.

No dia 1º de outubro celebramos Santa Terezinha do Menino Jesus, a santa da “pequena via da santidade”. Dia 2, os Santos Anjos da Guarda, temos muito a agradecer ao nosso Anjo da Guarda que sempre está ao nosso lado. Dia 4, o grande São Francisco de Assis, o santo da ecologia, do amor e da pobreza. Dia 7 é a festa de Nossa Senhora do Rosário. Lembremo-nos que é sempre tempo de começar ou recomeçar a oração diária do terço. Dia 12 comemoramos a solenidade da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Neste dia também celebramos o Dia das Crianças.

Dia 15, lembramos Santa Teresa d’Ávila, a Teresina, a santa mística da interiorização. Dia 18, é o dia de São Lucas Evangelista, o santo padroeiro dos médicos. No dia 25 é o dia de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão, o primeiro santo brasileiro. Dia 28, é dia dos Santos Simão e Judas Tadeu. Segue a memória de outros tantos santos importantes: Santa Edwiges, Santa Margarida Maria Alacoque, Santo Inácio de Antioquia, São Paulo da Cruz, São João Capistrano e Santo Antônio Maria Claret.

O Dia Mundial das Missões foi instituído pelo Papa Pio XI em 14 de abril de 1926, a pedido dos seminaristas da Arquidiocese da Sardenha, Itália. O primeiro Dia Mundial das Missões foi celebrado em 1927. Em 2013, celebraremos o 87º Dia Mundial das Missões. Dia 20 é o Dia Mundial das Missões quando em todo o mundo se realiza a coleta pelas missões destinada para os pobres de nossa Igreja.

Além disso, dia 31 é a memória do dia da Reforma Protestante, o que nos leva à ideia do ecumenismo, cuja atividade não deve parar jamais. Conforme a Unitatis Redintegratio: “Promover a restauração da unidade entre todos os cristãos é um dos principais propósitos do sagrado Concílio Ecumênico Vaticano II. Pois Cristo Senhor fundou uma só e única Igreja. Todavia, são numerosas as Comunhões cristãs que se apresentam aos homens como a verdadeira herança de Jesus Cristo. Todos, na verdade, se professam discípulos do Senhor, mas têm pareceres diversos e caminham por rumos diferentes, como se o próprio Cristo estivesse dividido. Esta divisão, porém, contradiz abertamente a vontade de Cristo, e é escândalo para o mundo, como também prejudica a santíssima causa da pregação do Evangelho a toda a criatura”.

Dom Irineu Roque Scherer, bispo diocesano de Joinville

Fonte: Adaptado Diocese de Joinville