15 de abril de 2024

VOZ DO PASTOR – OUTUBRO

NOS CAMINHOS DA MISSÃO – “CORAÇÕES ARDENTES, PÉS A CAMINHO”


Outubro é o mês das crianças, da Padroeira do Brasil, de São Francisco de Assis, do Santo
Rosário, da comemoração do dia dos Professores (15) e dos Médicos (18); Outubro Rosa, do
combate ao câncer de mama e da Semana da vida. Outubro dos Santos Anjos da Guarda.
Quem nunca se emocionou com aquela bela imagem dos Anjos da Guarda protegendo uma
criança enquanto dorme ou atravessa uma ponte muito alta?
Pois bem! São Francisco, Nossa Senhora do Rosário, de Aparecida, os professores, os
médicos, as mulheres e os homens empenhados na defesa da vida e superação das
doenças, os Anjos da Guarda, todos desempenham ou desempenham uma missão neste
mundo.
Mas, o que é missão mesmo? Missão é colocar nossos dons a serviço de algo bom; de algo
que faça bem às pessoas e ao mundo; é colocar nossas potencialidades a serviço de Alguém
que tem um projeto de felicidade e salvação para todos, não somente para alguns
privilegiados: estamos falando de Nosso Senhor Jesus Cristo.
A Igreja Católica do Brasil se prepara para celebrar um grande encontro missionário em
Manaus, no próximo mês de novembro, dos dias 10 a 15. Será o 5º congresso Missionário
do Brasil, que tem como tema: “Ide! Da Igreja Local aos confins do mundo”.
Mas, todos os anos, durante o Mês de Outubro, realizamos a Campanha Missionária em
toda a Igreja do Brasil. E o tema será exatamente este do 5º CMN de Manaus. Durante todo
o Mês, na sua comunidade, nas famílias, nas ruas estará acontecendo a Novena Missionária.
Participe! Informe-se e vá se reunir com seus irmãos de fé e refletir sobre a beleza que é ser
Igreja Missionária! Padres, motivem seus paroquianos para participarem! Vamos lá! Você
deve ser a alma missionária da sua paróquia, o grande animador da missão entre os seus
fiéis!
No quarto domingo de outubro – Dia Mundial das Missões – será o Dia da Coleta em favor
das Obras Missionária da Igreja pelo mundo a fora. E precisa de uma coleta para isso?
Precisa muito. Há igrejas muito pobres, perseguidas, em vários países do mundo; igrejas
formadas por uma pequena minoria de cristãos, sem nenhum apoio; pelo contrário,
excluídos de quaisquer benefícios. Ser cristão, católico, em muitos lugares do mundo,
significa correr risco de morte todos os dias, como os primeiros cristãos; significa ser tratado
com desprezo e discriminado. Mas, a força da fé, o testemunho, a coragem desses nossos
irmãos e irmãs, dessas igrejas, nos impressiona. Por isso vale muito a pena ajudá-los,
inclusive economicamente, enquanto eles nos ajudam com seu testemunho de fé.
Por isso, querido irmão (ã), seja sensível com esta causa! Seja solidário e generoso na sua
oferta neste dia Mundial das Missões! Esta coleta socorre cerca de mil e cem dioceses
mundo a fora, ajudando a manter inúmeros projetos pastorais e sociais, na linha da
formação de padres e leigos, construções, hospitais, escolas, centros de pastoral, catequese,
transporte, cuidado de crianças, orfanatos, asilos para idosos etc.
Já temos dado bons exemplos de colaboração nas campanhas anteriores. Mas, podemos e
devemos contribuir mais. Somos ainda o país com o maior número de católicos do mundo.
Que bonito mostrar o nosso exemplo de generosidade e partilha! Não fique fora! Será que
tamanha obra missionária não vale o preço uma pizza, de um lanche daqueles de depois da
missa, de uma cervejinha, de um refrigerante, de um ingresso de uma partida de futebol, de
uma seção de academia, de uma ida ao salão de beleza? Dê segundo a generosidade de seu
coração, mas não fique de fora.
Às lideranças leigas das comunidades um apelo: repassem todas as coletas deste dia
Mundial das Missões para a sua paróquia; aos padres: repassem, igualmente, todas as
coletas deste dia para a Cúria Diocesana; aos irmãos bispos, como bem sabido: repassem,
integralmente, todas as ofertas recebidas na cúria para as Pontifícias Obras Missionárias –
CNBB. Essas ofertas chegarão a destinos que só sobrevivem por causa delas. E lembremonos sempre: “a Missão se faz com os joelhos dos que rezam, com as mãos dos que ajudam e
com os pés dos que partem”.