15 de abril de 2024

PALAVRA DO PASTOR – JANEIRO DE 2024

A BELEZA DE SER IGREJA
O ENTERRO DA IGREJA
Havia, certa vez, uma pequena cidade do interior que tinha seu Pároco, um padre já idoso e doente. Um
dia, ele morreu. Como o bispo não tinha outro padre para substituí-lo, a cidade ficou sem padre.
Devagarinho, o povo foi se esquecendo da Igreja. Acabaram trancando de vez as portas da velha Matriz. O
povo comentava que a Igreja ali tinha morrido.
Vários anos se passaram, até que o bispo mandou para lá um padre recém ordenado. O jovem sacerdote
chegou e, com todo o seu entusiasmo, abriu as portas da Matriz, retirou as teias de aranha, e bateu o sino,
chamando o povo. Mas não veio ninguém.
O padre saiu pelas ruas, convidando pessoalmente os que encontrava. A resposta era sempre a mesma:
“Não adianta, padre, a Igreja daqui morreu”.
O padre teve uma ideia: Se a Igreja morreu, vamos enterrá-la. E convidou o povo para o enterro da Igreja.
A notícia espalhou-se por toda parte. “Você já viu enterro de Igreja?…”
Na hora marcada, a Matriz estava repleta. O padre havia tirado os bancos e colocado no meio do templo
um caixão, cercado por uma corda.
Após a celebração fúnebre, o padre disse, em um tom fúnebre: “Convido vocês a se aproximarem do
caixão e darem o seu último adeus à Igreja falecida”. Abriu-se a corda e o povo se aproximou. Mas cada
um que olhava dentro do caixão, levava um susto, e saia com a cabeça baixa…
Você já está imaginando o que o padre colocou no caixão: Um espelho. Cada pessoa que olhava dentro do
caixão, via a si mesmo lá dentro! Pois é! Esse padre ensinou uma grande lição nos moradores daquela
cidade. Nós somos a Igreja. Criticá-la é criticar a nós mesmos; deixa-la morrer é matar a nós mesmos.
De fato, há os interessados em matar a Igreja. Mas, diante dos ataques contra a Igreja por causa das suas
fraquezas humanas e dos pecados de seus membros, é bom recordar alguns dados: só nos Estados Unidos,
a Igreja Católica educa mais de 2 milhões e meio de estudantes, o que lhe custa mais de dez milhões de
dólares por ano, soma que o Estado economiza. Na Espanha, mais de 5 mil centros católicos de ensino
formam cerca de um milhão de alunos, livrando ao Estado mais de três milhões de euros por ano! Os 100
hospitais mais cotados dos Estados Unidos são também operados pela Igreja Católica.
E no Brasil, você já se perguntou quantos são os hospitais, centros médicos, orfanatos, creches, centro de
acolhimentos a pessoas marginalizadas, escolas, asilos, oficinas de formação profissional e tantas outras
iniciativas tocadas pela Igreja Católica? E quase todos os que trabalham ou colaboram com as obras de
caridade católicas, trabalham pelos outros sem pedir nada para si. São muitos os voluntários (as) nessas
instituições. Quanto dinheiro o governo economiza com isso??? Além disso, quanto custa manter para a
Humanidade tantas e tão monumentais obras históricas e artísticas da cristandade?
Não é diferente na nossa Diocese de Crateús, na nossa região. Quantas famílias são acompanhadas pela
Pastoral da Criança, da Pessoa Idosa, da CPT, da Pastoral Carcerária, pastoral da Saúde, da Educação, da
juventude, etc evitando, assim, que mais problemas cheguem às portas e aos cofres das secretarias
municipais…
A agonia que os católicos sentem e sofrem não é necessariamente culpa da Igreja como um todo. É
verdade que há um número muito pequeno de sacerdotes problemáticos, que numa boa parte já estão
suspensos de seu ministério e outros o serão a seguir.
A nossa Igreja Católica continua oferecendo consolo e fortaleza a milhões de pessoas em todo o planeta.
Portanto, andemos de cabeça erguida. Defendamos nossa FÉ, nossa Igreja, com orgulho e reverência.
Sintamo-nos orgulhosos de ser católicos, sem menosprezar a ninguém que pertença a outras igrejas e
religiões.
Não se junte aos que querem matar a Igreja Católica, o cristianismo autêntico! Lembre-se da estorinha: se
a Igreja do meu lugar está morrendo é porque eu que sou membro dela estou morrendo.
Eu me orgulho de pertencer a esta família. Você, também deveria, como eu, se orgulhar de fazer parte
dela. Cuide de sua Igreja! Cuide de sua fé! Nestas férias, pense com carinho nisso!?